quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

A minha incubadora na IBM

.

Quando cheguei à IBM, em Maio de 1970, fui parar ao DCS onde estive como programador até passar para Vendas DCS no início de 1972.


Eu e o Carlos Marques (o chefe)


Zeverino e Costa Cabral

Pierre Catry, Raul Albino e Tomás Azevedo

António Branco e Hercílio

Francisco Ribeiro Filipe

António Saraiva (?) e Duarte Nunes

(fotografias originalmente publicadas no IBM Notícias do início de 1973)

.




7 comentários:

Andorinha disse...

Sabes no que reparei? Não há PCs ou portáteis (óbvio que não...!) em cima de qualquer uma das mesas. E as mesas tinham imeeeenso espaço comparativamente aos pedacinhos de espaço que temos hoje em dia.
Tenho uma mesa dessas lá em casa por generosidade da casa IBM quando nos mudamos para o Oriente. Que saudades...
Um abraço, e nada de fechar este espaço que nós continuamos a vir cá para ter memórias.

F. Penim Redondo disse...

Andorinha

Realmente o ambiente de programação era muito diferente.
Tínhamos umas folhas formatadas para programar COBOL usando um lápis e uma borracha.
Depois as folhas íam para as perfuradoras que produziam os cartões com o programa.
Esse "deck" de cartões seguia para a fila de espera do sistema e era normalmente compilado durante a noite.
Cada vez que alteravamos um programa esperávamos dois ou três dias para conhecer o resultado da compilação.
Por vezes uma simples virgula fora do sítio impedía-nos de perceber se a lógica estava certa.

Tenho andado muito ocupado com outros projectos mas dentro em breve reiniciarei a publicação de documentos "históricos".

Um abraço

antonio matos disse...

Andoriiiiinha ! Piu, piu, piu ....
Estava eu nas minhas deambulações facebookianas, quando, abruptamente, cai um comentário no IBMemórias que me criou um arrepio, um doce arrepio ao ver que vinha de Den Haag ( bbbrrrr ... ) e eu associei a Häagen Dazs e até os dentes bateram .... ( eu sei, eu sei, não tem nada a ver o cu com as calças ...)

Felizmente estava com um aquecedor ( chamo-lhe um bufa porque está sempre a bufar ) virado aos pés o que me deu algum conforto ...
Provavelmente sou eu que tenho vindo pouco ao IBMemorias mas a verdade é que nunca mais te pus o ouvido em cima ! Porque será ?
Se bem te lembras, nós não nos conhecemos ( ainda não perdi a esperança ! )mas estás sempre a recordar-nos que vives lá para os lados de Den Haag e isso é longe demais para um koffie !
( se a tradução não está correcta, culpa do tradutor do Google !)

Não está fácil esta manhã para elaborar um texto escorreito mas, pelo menos, já desentorpeci os dedos da artrite reumatóide com tanto matraquear no teclado que me vou embora.

Gostei de te “ver”.
Até à próxima.
António Matos

Mariano Garcia disse...

Olá gentes,
Em primeiro lugar saúdo o Fernando e a sua inesgotável fonte de recordações. E esta traz-nos a cara de alguns jovens que foram meus amigos ali e durante muitos anos (espero que ainda o sejam). Graças a ti isto ainda mexe.
Porém, fizeste-me lembrar a outra fase ainda mais remota da programação, a precursora, com o SPS, Autocoder(?) e RPG, que passavam na 1401, que tinha a faculdade de nos permitir detectar os erros na própria consola da máquina, através de uma coisa que creio se chamava "cheking process" e as emendas no próprio cartão do programa à chamada "linguagem da máquina"... Isto, se conseguisse-mos uma "abébia" lá pela madrugada, pois era o tempo em que a programação fazia plantão todas as noites até às cinco ou seis da manhã (com excepção da Carolina Gralheira que saía, pragmaticamente, pelas duas.
Mas, voltando às tuas belas fotos, quero dar a minha ajuda identificando o António Duarte Nunes, o rapaz que está de frente, uma das figuras mais marcantes daquele tempo. Foi operador, chefe do Computing Center e depois analista. Um homem de caracter e um amigo excepcional, que partiu muito cedo e deixou saudades em muitos de nós.
O jovem que está de perfil, admito tratar-se do Dias Costa ou o Freixo Nunes, mas não consigo ter a certeza.
Agora quero saudar o reaparecimento da "Andorinha" (já tinha saudades!...) e do António Matos, que, embora pouco inspirado (estás a perder a forma, amigo!)é sempre um gosto ler o que tem para dizer-nos.
Não desistam, gentes, isto vai-nos mantendo acordados e... recordar é viver!!!!!

antonio matos disse...

Se ontem pelas 8 horas da madrugada só fui capaz de um mísero texto de pendente non-sense, receio que a minha veia noctívaga não permita, às 2 da matina, muito melhor ...
Mas também o que me traz por cá é, a par da amiga insónia, a possibilidade de cumprimentar o Fernando e o Mariano pelos respectivos esforços em manterem este "condomínio" habitado ainda que com condóminos que por sistema faltam às reuniões de administração...
Passando por cima da figura de estilo, é bom saber-vos vivos e interventivos, as usual !
Já menos arremelgado do que de manhã, pus-me a observar as fotos do post e reparo ( ao contrário da Andorinha - olá piu, piu ) que as secretárias não têm espaços livres !
Estão absolutamente preenchidas com os primórdios do PC chamados de "listagens" !!!
Havia-as para todos os gostos e a "encadernação" culminava todo um trabalho aturado na sua produção.
Ora agora de lombada amarela, ora agora azul, encarnada ou até branca.
Uma gaze e uma papa colante, eram finalmente postas a secar ao calor dum aquecedor de casa de banho e depois ia fazer monte para o armário.
Era o final dum ciclo ( em regra mensal )que eu tive o "prazer" de acompanhar de perto em várias actividades financeiras sendo a principal a da rotina das letras !!!
C'os diabos, aquilo dava pelos peitos a um macho !
Eram milhões de "papagaios" com o advento das vendas a prestações !
Depois era ver os vendedores ( na altura eu estava do lado de dentro do balcão )nos fins de mês a tentarem as célebres reformas quantas vezes de formas menos ortodoxas ....
E o monstro crescia ....

Dou por mim a olhar agora para a minha actual secretária.
Se apelar à imaginação e às recordações, direi que tenho uma de manager !
Talvez mesmo de administrador delegado !
Só que, a par dos habituais "necessaires" só vejo facturas de gás, da EDP, de água, da internet, da Vodafone e vai daí .... está cheia como um ovo !
Conclusão : mudam-se os tempos, e volta tudo ao princípio ...
Abraços,
António Matos

Mariano Garcia disse...

Agora sim, António, estás igual a ti próprio. Boa ginástica mental (que memória!) e a palavra fluente e brilhante. Ontem, deixaste-me preocupado. Nem foste capaz (claro que estou a brincar!!!)dos teus habituais piropos à "nossa" andorinha, que bem os merece pela sua graciosa presença no meio dos veteranos.
Mas, falando sério. Apesar da pouca frequência nas assembleias deste nosso "condomínio" é aqui que me soa mais agradável o nosso diálogo. O FcBo ainda me faz uma certa confusão, com todos ao molho, distribuição de flores e abraços a rodos, muita comida enlatada, e... bem, não é a minha área favorita mas, que Deus nos ajude!!!

antonio matos disse...

Isto está tudo trocado !
As andorinhas, no meu tempo (!!) apareciam na Primavera, vindas de sítios que começavam a ficar frios ...
Agora aparecem Andorinhas em pleno Janeiro, a piarem piu piu piu a dizerem que lá na neve é que é bom ...
A única semelhança é que ambas trazem o prenúncio de melhores dias, não é ? Pelo menos mais alegres !
Pela parte que me toca é sempre uma lufada de ar fresco cada vez que a(s) Andorinha(s) chileiam nos ninhos ou nos blogues !
Chilreia, Andorinha, chilreia, que o teu chilrear tem graça !