sábado, 6 de dezembro de 2014

Recordações de um IBMer

Na minha última publicação, em Maio de 2013 mostrei uma IBM 6705 que comprei usada e com o mau aspecto e desgaste visíveis na foto. Quis com isto testar-me se seria capaz de a recondicionar de mecânica e dar-lhe uma aparência de nova. Desmontei-a toda ... ou quase. Desmontei o "cycle shaft" e mudei o "cycle clutch" e depois de tudo limpo foi montado. Depois desmontei o "operational shaft" com aquelas "molinhas" springs todas. Desmontei o motor. Foi tudo limpo, peça por peça e ainda substitui a "motor clutch" pois ainda tinha uma. Seguiu-se um ciclo de afinações que durou dias até ficar completamente satisfeito. Não imaginam o que a memória é capaz de ir buscar! De seguida de dediquei-me então às tampas que limpei e pintei com spray. 


O resultado é este e está perfeitamente operacional.








O antes:




quinta-feira, 20 de junho de 2013

Fotografia de Rua (4ª parte)

.





Excelentes imagens do nosso colega Carlos Branco
.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Memórias de um IBMer

Além das imagens que gosto de ver neste Blog, acho que faz falta um pouco de prosa. Por isso aqui vai a minha contribuição:


Sou um ex-IBMer, Departamento CE Porto.  Sei que passei um curto período na empresa (12 anos), quando comparado com muitos outros colegas, mas mesmo assim as impressões que em mim ficaram, são muito importantes, são muito significativas e gratificantes. Recordo-me sobretudo dos bons momentos, dos pontos altos. Claro que também houve pontos baixos, e momentos menos bons e cuja causa pode mesmo ter sido minha.
Quando entrei para a IBM pude saborear vários momentos únicos, que não surgiram por acaso. Lutei e trabalhei muito para aí chegar. Por isso cada conquista teve um sabor intenso.
De administrativo, passei a técnico com uma actividade que obrigava a uma deslocação constante, de cliente em cliente. E gostei. Aliás, gostei muito. Detalhar máquinas em peças com nomes de cada peça em inglês, era um desafio. Mas um desafio sempre ganho com gosto.
Das máquinas de escrever até os AS400’s, passei pelos terminais bancários, assisti ao nascimento dos Personal Computer depois Personal System e ainda trabalhei muito com os Sistemas 36 e ATM’s.
Pertencer a uma equipa de técnicos que no primeiro dia fizeram questão que nos tratássemos todos por tu, que faziam como regra de trabalho o apoio e ajuda na resolução de qualquer problema técnico, fez-me sentir entre amigos. Isso fez a diferença para as outras empresas onde trabalhei, antes e depois da IBM, onde o individualismo era a opção mais comum.
Na IBM aprendi que se pode desenvolver as aptidões individuais trabalhando em equipa. Mais tarde ou mais cedo, lá está o Field Manager para premiar o desempenho, nem que seja passados 11 anos... Mas o importante é que alguém se lembrou.
Histórias de sucesso ou insucesso, preenchem os nossos dias de vida, afinal ... tão curta!


Admissões em Maio de 1982

.



Recebido do nosso colega António Clodomiro Castro.
Deste grupo de 4, segundo ele, só o Martins continua na Companhia
É de Maio de 1982.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Parabéns Carmindo Lemos

.



Aniversário do Carmindo Lemos, com Jorge Veiga, Zé Tenreiro, e mais uns tantos identificados na foto — with Carmindo LemosJoão Pessoa VazZé TenreiroFernando Ferreira FilipeMaria Odete VicenteJorge VeigaFilomena Pedroso and Jorge Goulart.

sábado, 12 de janeiro de 2013

P'las Ruas

.




.
.


Dois excelentes "albuns" fotográficos da autoria do nosso colega Carlos Costa Branco. 

.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Realizou-se 11 de outubro de 2012 um jantar de amizade, dando as boas vindas ao nosso clube dos reformados ao nosso colega Virgilio Vargas com direito a fados e guitarradas:
https://picasaweb.google.com/117385269059263657540/21_outubro_2012_Jantar_VV?authuser=0&feat=directlink

terça-feira, 17 de abril de 2012

LIQUID




IBM (International Business Machines) was once considered a pioneer in the field of computer technology. Now the US-based conglomerate—employing more than 400,000 people worldwide—is a pioneer of a modern form of global day-wage labour. And Germany is serving as a pilot project for a radical reorganization of its existing work structures around the world.
According to an internal corporate strategy paper, obtained by Spiegelmagazine, IBM will be reduced to a core workforce. Of the more than 20,000 employees in Germany, at least 8,000 will lose their permanent jobs and be replaced by flexible external workers.
The programme, called “liquid,” provides for outside workers to be hired flexibly as required. The hiring of external IT experts and other specialists is to take place via a specially created Internet platform, in the form of a so-called Cloud.
Up to now, the IT industry has regarded the Cloud as the delivery of computing as a service, with the infrastructure, hardware and software existing on internationally networked servers, effectively invisible to the user, hence, “in the Cloud.” Access is usually via the Internet. The purpose of cloud solutions is to lower costs because resources are ready at any time, but paid for only as they are used at the time needed.
This model is now to be applied broadly to people. Those currently employed as permanent staff by IBM will in future become free-lancers in an international “talent cloud.” To be part of this cloud they will have to obtain quality assurance certification as specified by IBM. It will not just be IBM, but also other businesses that will access this human cloud.
Spiegel compares the "talent-Cloud” with Facebook. As in social networks, the profiles of IT professionals—including scores (“Likeability”) and references from previous employers—will be visible for interested companies.
Positive scores—including the timely payment of credit card bills—and self-financed training courses at IBM would increase the “digital reputation” of an IT specialist.
“Personnel organised in a ‘cloud,’” the magazine quotes from the IBM document, “would receive international employment contracts, in order to circumvent restrictive regulations in their home country.” The “globalized employment contracts” would last only for the duration of individual projects. Thus, the company would reach a state “achieved long ago by the financial markets”: it could “do away with part of the national regulations.”
Permanent employees—with social security protection, guaranteed salary, paid vacations and sick leave, etc.—would be transformed into modern day-wage labourers, hired just for one project or contract for a limited time, sometimes by one firm and sometimes by another. “Such a system, where workers compete globally for temporary jobs using Internet platforms,” ​​comments Spiegel, means, “companies such as IBM would make huge savings and increase efficiency significantly.”
IBM has not yet taken a position on the reports by Spiegel magazine. “As an innovative company, we constantly explore a variety of means and approaches to offer customer value,” the company announced.
By restructuring employment relations, IBM is seeking to further increase its profits so as to remain attractive to investors. IBM reported a turnover of $29.5 billion and a 4 percent increase in profits to $5.5 billion for the fourth quarter of 2011.
Just last year, Warren Buffett’s investment company Berkshire Hathaway bought a stake in IBM, valued at $10.7 billion. According to data from Thomson Reuters, Buffett is the largest shareholder in the corporation. The multi-billionaire praised IBM’s management, which even in the midst of the economic crisis had ensured good profits. “They did a great job,” he said.
The “liquid” model now being pursued is not limited to IBM. Most computer specialists are already aware of Amazon’s “Mechanical Turk,” an automated marketplace for simple operations. Top Coder, the largest Internet platform for software developers, has already gained 388,000 “members.”
It is no accident that IBM is looking to Germany as the country to pilot this model. Since the Hartz welfare and labour “reforms” of the former Social Democratic Party-Green government (1998-2005), Germany is at the forefront in developing forms of precarious employment.
The IBM model globalises the so-called employment contract, increasingly replacing agency working as the preferred form of low-wage labour. Companies assign key tasks to subcontractors, paying only for each project.
Fourteen major subcontractors in the German retail and logistics industries with a total of 50,000 employees have established their own employers' association, the Association of Instore and Logistics Services (ILS), and agreed a contract with the “yellow” union DHV, a member of the Christian Trade Union Federation (CGB).
The DHV has agreed gross hourly rates of €6 in east Germany and €6.50 in the west. This allows the company to compete even below the minimum wage for temporary employment advocated by the German Trade Union Federation (DGB) of €6.89 (east) and €7.79 (west). The drugstore chain Rossmann has confirmed that it uses such low-wage workers now in half its branches, some 800 stores. Other retail chains and grocery stores are also using this form of exploitation.
Meanwhile, the sort of employment conditions in the retail sector are being extended to manufacturing. According to a survey conducted by the IG Metall union, more than 70 percent of companies in the electrical and metal industry in Baden-Württemberg now use such contracts, replacing the core permanent workforce in more than half of all factories.
At the BMW plant in Leipzig, half of the 5,000 workers are employed via external agencies. A total of 26 service providers are active at the plant. Their employees are ​​substantially worse off than the usual temporary labour, who must still be paid the minimum wage.
The same is happening at the Audi plant in Ingolstadt, where about half the workforce is “external.” They earn €500 to €800 per month less than the “internal” workforce, and work 40 hours a week instead of 35.
The rise of low-wage work in Germany in recent years has seen the number of permanent full-time jobs steadily fall. The decline is more than18.5 percent between 1999 and 2009, according to figures from the Institute for Labour Market and Occupational Research. The number of “atypical” forms of employment, such as temporary employment or self-employment has risen by almost 80 percent. Just under half of all 41 million people in work in Germany today have a permanent position.

Publicado por


Cloud de Talentos

.



Publicado na revista CQ.


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Smarter City

.








Este pequeno filme mostra, indirecta mas eloquentemente, a escala do que está a acontecer na China. Mas há outra lição talvez mais importante; enquanto os cidadãos e os estados ocidentais sofrem com o desenvolvimento e a competitividade do Império do Meio, há grandes multinacionais como a IBM que continuam a beneficiar muito com esse fenómeno.
Talvez isso explique por que é que as nações ocidentais não se prepararam em tempo útil para o impacto da esperada, e legítima, ascensão económica da China.

.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

NOTÍCIAS IBM em 1982





.

O Jorge Martins enviou-me este material, um conjunto de exemplares do NOTÍCIAS IBM, que ele digitalizou e assim tornou partilhável com todos os colegas (clicar para abrir cada número do NOTICIAS).
.


.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O CC Alvalade fechou

.





O nosso colega Santos e Silva constatou o encerramento do Centro Comercial de Alvalade.
Tudo me faz supor que terá estado aberto até ao fim de 2011 pois, há não muito tempo, tinha passado por lá.
Alguém tem mais informação?


P.S. Afinal passei por lá já em Janeiro e a porta está aberta e o cafézito, pelo menos, estava a funcionar.

.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Centro de Suporte para Pessoas Deficientes

..
















Fui contactado pelo senhor Francisco Godinho que me informou de uma referência ao Centro de Suporte para Pessoas Deficientes da IBM, em Alvalade, publicada na Revista Sábado de 21 de Outubro de 1989 e posteriormente transcrita no site Engenharia de Reabilitação  (clicar para ver) .


Aqui fica a informação e a recordação de uma notável iniciativa da IBM.


.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Os mais esquecidos dos indignados

.



A suspensão do subsídio de férias e de natal anunciada com o OE2012 tem sido discutida intensamente no espaço público. Mas na esmagadora maioria dos casos é referido o efeito da medida sobre os funcionários públicos omitindo-se, quase sempre, o facto de ela afectar igualmente os pensionistas. Mesmo Cavaco, ao invocar a falta de equidade, esqueceu que a medida também afecta centenas de milhares de pensionistas "privados".
A suspensão dos subsídios, se a quisermos ver como uma injustiça, é muito mais grave no caso dos pensionistas. A maioria dos pensionistas afectados fizeram descontos durante vidas inteiras, não só eles como as suas entidades patronais, e confiaram no Estado como depositário e gestor desses montantes por forma a garantir a sua velhice.
Os pensionistas já não podem reverter esta situação nem estão já em condições físicas de procurar fontes alternativas de rendimentos. Apesar de tudo os funcionários do estado podem decidir mudar de emprego ou emigrar para fugir à perseguição.
É altura de os pensionistas erguerem a voz como os mais esquecidos entre os indignados.

domingo, 21 de agosto de 2011

Jantar de despedida do José Barreto

Através do Mário Marzagão, no Facebook, cheguei hoje a este vídeo que nunca tinha visto e que é da autoria do João M. Costa. Aqui fica para a posteridade.



16 de Outubro de 2009

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

IBM 100 anos – Almoço em 29/5/2011







(Autoria de João Manuel Prazeres Costa)

sexta-feira, 1 de julho de 2011

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Celebração do Centenário da IBM



A propósito do fabuloso convívio que acaba de ter lugar, permitam-me lembrar aqui o Homem extraordinário que fundou e dirigiu a "nossa" Companhia, porque foi ele que introduziu nela os valores ( onde sobressaia o humanismo) que todos nós admiramos quando ali chegamos, e que nos ensinaram a valorizar-nos e, muitas vezes, a superar-nos em busca de metas que nos faziam mais fortes.
Conheci o seu perfil em 1950, não sonhava sequer que viria a entrar na sua Companhia, quando esteve em Portugal para participar numa Conferência Mundial do Escotismo, na qualidade de Delegado dos EUA. Ele foi um dos fundadores no seu país deste Movimento educativo da juventude.

terça-feira, 31 de maio de 2011

IBM 100 Anos, na Quinta do Hespanhol

.



Teve lugar, no Domingo passado, dia 29, o fabuloso convívio dos ex e actuais empregados da IBM promovido com pretexto no centenário da IBM. Um dia maravilhoso que temos que agradecer ao esforço do Trinité, do Garcia de Matos e da sua equipa.
Quem lá esteve sabe como foi, quem não esteve gostará talvez de ver os bonecos.
Para aceder às fotografias clique AQUI

.

segunda-feira, 7 de março de 2011